top of page

RODRIGO FURTADO COMEMORA PROJETO DE INCENTIVO ÀS STARTUP'S

Governo do Estado apoia Startup e investe em empresa que ensina programação para refugiados Foto: Gazeta dos Bairros O vereador Rodrigo Furtado (PSC) conseguiu concretizar a aprovação do projeto de incentivo às startups, e ainda obteve apoio entre os demais parlamentares para derrubar o veto do prefeito Antônio Francisco Neto (DEM) à proposta. Com isso, assim como vem sendo apoiado pelo governo do estado, por intermédio do secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Sérgio Luiz Costa Azevedo Filho, o ' Serginho', Rodrigo Furtado espera que a cidade consiga tomar o rumo do desenvolvimento econômico e social. O projeto do vereador se destaca em razão de que o município poderá se destacar como principal polo de empreendedorismo em tecnologia no Sul Fluminense. - É com imensa satisfação que anuncio para vocês que agora é lei o programa de estímulo às startups. Volta Redonda sempre foi uma cidade a frente só seu tempo, inclusive no que diz respeito à economia. E isso não pode mudar. Ao estimular startups, transformaremos o município numa encubadora de negócios tecnológicos que gera emprego e renda para a nova geração conectada 24 horas, transformando a cidade novamente em referência. Enquanto for vereador vou continuar trabalhando por projetos dessa natureza: que fazem a diferença - afirmou o parlamentar. INOVAÇÃO - Orlando Martínez, de 39 anos, mora no Brasil há três anos. Formado em informática, o venezuelano trabalhou como professor por 12 anos antes de mudar de país. Após trabalhar com atividades diversas, já em território brasileiro, chegou à Toti por meio de outros venezuelanos. A empresa faz parte do StartupRio, programa da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação.
- Eles têm organização e planejamento muito bons. Fiz aulas em aproximadamente quatro meses como desenvolvedor Full Stack. Eles trabalham na modalidade on-line, têm também aulas em vídeo, nas quais o aluno assiste e o professor tira dúvidas depois. A formação é muito boa, eles têm um conteúdo que faz com que os estudantes tenham conhecimento em HTML, CCS, Java Script, Typescript, React, Node... tecnologias que o mercado da programação está requerendo. Faltam profissionais que trabalhem com isso e no momento o mercado da programação está aquecido - afirma Orlando.
Com foco na capacitação e aceleração de empreendedores digitais, a Toti beneficiou centenas de refugiados desde 2016. Desde então, passaram pelo curso 216 pessoas de 11 países diferentes, considerando os que já estão formados e os que ainda estão acompanhando as aulas.
O diretor-executivo da Toti, Caio Rodrigues, contou sobre o surgimento da empresa.
- Começamos a estudar causas sociais e nos conectamos muito com os refugiados. Nosso objetivo é oferecer um futuro melhor, com boas condições de vida e bons salários no Brasil.
Mais do que dar chance aos refugiados, a iniciativa também estimula a abertura de um leque de oportunidades. Caio Rodrigues lembra da história de um sírio que foi contratado em 2019 e ajudou a empresa a fechar negócio com outros países.
- Quando o Khaled chegou ao Brasil, já formado em Administração, ele vendia esfihas na Zona Sul do Rio de Janeiro. Depois, já com a gente, ele traduziu um produto digital que a empresa já comercializava para o árabe, permitindo a ampliação desse negócio para mais de 20 países. Olhamos para nossos alunos e vemos que eles têm um potencial gigante: 45% tem graduação, outros 28% possuem pós-graduação e 63% deles são trilíngues - reforçou o Caio. A Toti é parceira da Agência da ONU para Refugiados e da Organização Internacional para as Migrações. - A startup surgiu de um grupo de sete pessoas apaixonadas por empreendedorismo social, mas que nunca tinham empreendido. Eu tenho 25 anos, e esta é minha primeira empresa. Então, ter o apoio de outras pessoas que tiveram experiência com empreendedorismo é fundamental para crescermos ainda mais. Contar com a StartupRio é essencial no desenvolvimento da ideia e do empreendimento – explicou Caio. O secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Sérgio Filho , enaltece iniciativas que geram impacto social, como o StartupRio.
- O programa busca viabilizar ideias para que elas possam ser competitivas no mercado, gerando emprego e renda. Neste caso, a startup também tem um papel importante em impacto social. No que depender da Secretaria, vamos continuar estimulando a economia criativa e a inovação como motores do desenvolvimento econômico do estado - afirmou. E se você tem uma empresa, quer contratar um refugiado ou então deseja ser aluno da Toti, é só entrar em contato com pelo Instagram da empresa: @toti.diversidade.

RODRIGO FURTADO COMEMORA PROJETO DE INCENTIVO ÀS STARTUP'S

Governo do Estado apoia Startup e investe em empresa que ensina programação para refugiados Foto: Gazeta dos Bairros O vereador Rodrigo...

bottom of page