top of page

PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO DE VOLTA REDONDA É DEBATIDO EM AUDIÊNCIA PÚBLICA

URBANISMO E EVOLUÇÃO DAS CIDADES * RONALDO ALVES A semana que passou foi possível participar de nova audiência sobre o Plano Diretor convocada pelo vereador Rodrigo Furtado (PSC), com grande número de pessoas de entidades, associações e Sindicatos, resultando num debate produtivo e determinante para o processo. Foi acertado que não deveríamos conduzir as emendas sob a forma de substituto, visando melhor acolhimento por parte dos vereadores que vão votar e decidir. Voltando as emendas, como prometemos, vamos tratar das propostas para Mobilidade Urbana. Nas emendas sugeridas ao Plano estão incluídas diretrizes tais como: Desenvolver um novo Sistema de Transportes Coletivos focado em eixos estruturais em vias exclusivas e linhas alimentadoras, estações de transbordo, com utilização de ônibus articulados (BRT) com maior capacidade para transportar pessoas, e eliminando as atuais linhas que formam sobreposições inadequadas, praticando o bilhete único com tarifa adequada. Será sugerido ainda: Caber exclusivamente ao IPPU VR e ao CMDU- Conselho Municipal de Desenvolvimento Urbano, ouvido ainda o COMUTRAN – Conselho Municipal de Transportes e Mobilidade Urbana, a condução da Política básica de Mobilidade Urbana e a elaboração de Projetos a ela vinculados para aplicação pelo Executivo em todo o território do Município. Poderá o IPPU VR trabalhar em conjunto com outras instituições ou Autarquias municipais na condução dos Programas e Projetos na área da Mobilidade Urbana, incluindo o COMUTRAN – Conselho Municipal de Transportes e Mobilidade Urbana, mas sempre com a sua liderança em todos os casos. A criação de um SISTEMA de Transportes Coletivos é de vital importância para a modernização e melhoria do transporte público pois, até hoje, Volta Redonda não dispõe de um SISTEMA mas de um emaranhado de linhas que se cruzam em diversos pontos da cidade, de forma irracional e sobrepostas nos horários de pico, com custo operacional elevado. A mobilidade Urbana será melhorada e facilitada por esse sistema, a ser operado com tarifa única que há muito se esperava num processo de Mobilidade Urbana racional. A operação desse sistema carece de vias estruturais para nelas operarem os ônibus BRT articulados. São consideradas Vias Estruturais os eixos estruturantes componentes do sistema principal de circulação viária que, em um anel circular expresso, além de abrigar o transporte coletivo de massa, faz ainda sua função subsidiária de ligação entre polos nacionais, permitindo a Volta Redonda exercer o papel de centro de caráter regional e garantem a sua integração com outros mercados.” O Anel Circular Expresso será implantado mediante configuração especial voltada para a circulação de ônibus articulados e estações de transbordo para linhas alimentadoras configuradas por Radiais vindo dos bairros e, por nossa proposta, será constituída pela Rodovia Lucio Meira, Av. Sergio Braga, elevado Castelo Branco, Av. Adalberto de Barros Nunes, Ponte Pequitito Amorim, Av. Paulo de Frontin, Rua Pedro Chaves, Av. Lucas Evangelista, viaduto N. Srª das Graças, Av. Dos Trabalhadores, com duplo sentido em todo o percurso e com estações de transbordo entre eles. Definimos ainda como sugestão que dentro de 180 (cento e oitenta) dias contados da publicação da Lei, o poder Executivo encaminhará à aprovação Legislativa o projeto de Lei sobre o novo PLANO DE MOBILIDADE URBANA DE VOLTA REDONDA, tendo como princípios básicos o estabelecido nas novas diretrizes. Próxima edição poderemos ter novidades sobre a aprovação da Revisão do Plano Diretor. Ronaldo Alves é arquiteto e urbanista ronaldoalves@raralves.com.br

PLANO DIRETOR PARTICIPATIVO DE VOLTA REDONDA É DEBATIDO EM AUDIÊNCIA PÚBLICA

URBANISMO E EVOLUÇÃO DAS CIDADES * RONALDO ALVES A semana que passou foi possível participar de nova audiência sobre o Plano Diretor...

bottom of page