top of page

OS's CONTRATADAS POR SAMUCA SILVA ESTÃO NA MIRA DA CPI DA COVID-19 NO SENADO FEDERAL

Foto: Arquivo/Secom-PMVR A CPI da Covid-19 do Senado Federal vai pedir a quebra do sigilo fiscal e bancário das organizações sociais (OS's) Instituto Mahatma Gandhi e Associação Filantrópica Nova Esperança, que atuaram no município de Volta Redonda, à frente do Hospital Municipal Munir Rafful (HMMR - Retiro) e Hospital São João Batista (HSJB), respectivamente, durante a administração do ex-prefeito Elderson da Silva, o Samuca (PSC). A informação foi noticiada nesta quinta-feira (17/06), pela colunista do jornal 'O Globo', a jornalista Bela Megale, e dá conta de que outras cinco organizações sociais que operam Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais no Rio de Janeiro também terão as ações implementadas. O vereador Jari de Oliveira (PSB), que atualmente preside a Comissão Permanente de Saúde, Educação e Assistência Social, foi responsável por uma série de denúncias de favorecimentos e improbidades cometidas pela administração do Hospital do Retiro (Munir Rafful), desde o início de 2018, quando foi celebrado o contrato com o Instituto Mahatma Gandhi. No caso da OS Nova Esperança, as denúncias partiram de médicos e enfermeiros que não estavam recebendo os salários, sob a alegação de que a entidade social "não estaria recebendo repasses financeiros por parte da administração do ex-gestor municipal Samuca Silva". OPERADORES - Os nomes das entidades foram entregues à CPI da Covid pelo ex-governador do Estado Wilson Witzel (PSC) após ele depor na comissão, nesta quarta-feira (16/06). Witzel acusa essas OS's de continuarem operando no Rio de maneira ilícita, pagando propina a autoridades públicas. Ele também acusa prestadores de serviço de hospitais federais e estaduais do Rio a participarem do mesmo esquema. As OSs listadas pelo ex-governador e que terão os sigilos quebrados são: Associação Filantrópica Nova Esperança, Instituto Mahatma Gandhi, Instituto Lagos, Viva Rio, Movie, IABAS e SPDM. A quebra de sigilo já tem aprovação da maioria dos senadores da CPI e será votada nesta sexta-feira. No mesmo dia, a comissão decidirá sobre o novo depoimento de Witzel, agora sob sigilo, como ele solicitou. — Deixei com a CPI o nome das OSs que precisam ter os sigilos bancários quebrados – afirmou ex-governador. Witzel disse que a corrupção na área da saúde do estado do Rio de Janeiro continuou após sua saída do governo. Ele perdeu o cargo após um processo de impeachment por crime de responsabilidade em esquema de corrupção na área da Saúde envolvendo também uma organização social chamada Unir.

OS's CONTRATADAS POR SAMUCA SILVA ESTÃO NA MIRA DA CPI DA COVID-19 NO SENADO FEDERAL

Foto: Arquivo/Secom-PMVR A CPI da Covid-19 do Senado Federal vai pedir a quebra do sigilo fiscal e bancário das organizações sociais...

bottom of page