top of page

MANIFESTO CONTRA 'PÓ PRETO DA CSN' UNE 'BOLSONARISTAS, LULISTAS, CIRISITAS, CASTRISTAS E FREIXISTAS'

Políticos, sindicalistas e ambientalistas marcam presença durante manifesto pela redução da poluição do ar em Volta Redonda Fotos: Gazeta dos Bairros A manifestação pacífica contra a poluição do ar em Volta Redonda, promovida na Praça Brasil, na Vila Santa Cecília, na manhã do domingo (17/07) em que se comemorava o 68º aniversário de emancipação político-administrativa do município, teve a presença de pouco mais de 200 pessoas. Crianças, jovens, adultos e idosos foram às ruas do bairro para demonstrar a insatisfação com a emissão do 'pó preto' pela Usina Presidente Vargas (UPV) da CSN, coordenados pelo professor Roberto Guião de Souza Lima Junior, do Centro Universitário de Volta Redonda (UNIFOA) e integrante da equipe do Projeto RECRIAR, com o apoio do Movimento Ética na Política (MEP-VR), ong's e entidades ambientais, Câmara Municipal, Associação de Moradores e sindicalistas. Políticos de esquerda, direita, centro, extrema direita e esquerda, dirigentes sindicais, as ex-deputadas Cida Diogo e Inês Pandelo (ambas do PT), ativista sindical Cerezo Honorato, os vereadores Jari Oliveira (PSB) e Rodrigo Furtado (PSC), os ex-vereadores João Tomaz da Costa (Cidadania), Raone Ferreira (PSB), entre outros, marcaram presença no evento. O engenheiro aposentado da CSN e ex-vereador, João Tomaz, participou ativamente do manifesto, com apresentação de adereços alusivos aos índices de poluição atualizados, num varal sobre a emissão de partículas poluentes e nocivas à saúde respiratória da população. De acordo com o organizador da manifestação, o professor Roberto Guião, a questão ambiental vem sendo maquiada pelas autoridades responsáveis, com discursos de que a população tem observado uma "falsa sensação de poluição". " A partir de agora, nós queremos provocar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) e na Câmara Municipal de Volta Redonda (CMVR), para que possam apurar todas a denúncias que estamos fazendo, trazendo este dados apresentados à tona, questionar os fatos, jogar luz no aspecto popular quanto jurídico sobre tudo isto que está acontecendo", previu Guião, ao finalizar a passeata na Praça Brasil, onde cantaram "parabéns pra você', pelo aniversário de 68 anos da cidade, tendo como "presente da CSN poluição e insalubridade para a população ". Roberto Guião ressaltou ainda que, não apenas a questão da poluição emitida pela CSN, mas que " aquela advinda do excesso de veículos circulando na cidade, deficiência em áreas verdes, ou seja, um combo de coisas que se materializam principalmente pela CSN, causam esse transtorno à população ", esclareceu. Para concluir, o professor afirmou que no site do Instituto Estadual do Ambiente (INEA) estão disponibilizados dados sobre os índices de poluição na cidade, para que as autoridades locais possam avaliar e tomar providências. - O INEA afirma que o único período em que os índices de poluição na cidade saíram do padrão foi em 2017. Isso não é a realidade, pois os dados saem diariamente do padrão de qualidade do ar. Pois aqui no Brasil é o dobro do que é determinado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). No nosso varal da poluição apresentamos esses dados extraídos, inclusive, do site do INEA - concluiu Roberto Guião. O vereador Rodrigo Furtado, que estava debatendo questões ambientais e sobre o TAC assinado em 2018, com o ativista sindical Cerezo Honorato e o advogado Tarcísio Xavier, esclareceu que será necessário "uma ação mais firme por parte dos órgãos ambientais e do Poder Público estadual e municipal para que a empresa faça valer de fato o que está determinado no TAC". - Infelizmente, pouco temos a comemorar, porém estamos nessa manifestação pacífica. Quero lembrar que presidi uma Comissão Especial de Inquérito na Câmara Municipal, onde obtivemos avanços significativos , conquistando um TAC de R$ 303 milhões com várias regras a serem seguidas pela direção da CSN, para que a cidade tenha uma redução importante do ar. Conseguimos ainda que aas empresas CSN e Harsco paguem multas diárias pela não redução da pilha de escória depositada às margens do Rio Paraíba do Sul, nas proximidades dos bairros Brasilândia e Volta Grande - afirmou Rodrigo. ATIVIDADES - Semanas antes de a população se manifestar publicamente, por meio das redes sociais, e cobrar atitude do Poder Público contra o aumento da poluição atmosférica, provocada pela elevada emissão de partículas de pó preto pelo processo siderúrgico da Usina, o governo municipal tomou frente ao problema e conseguiu alinhavar um compromisso explícito da direção da empresa para que algo seja feito de maneira imediata. Em resposta, a Prefeitura de Volta Redonda recebeu na semana passada (14/07), um documento pelo qual a direção da CSN se compromete em tomar medidas emergenciais para reduzir a tal "sensação de aumento da poluição atmosférica na cidade". Ao menos seis itens foram abordados como emergenciais pela CSN e já estão em execução a partir de agora: - Duplicação do número de máquinas varredeiras nas vias e pátios das sinterizações e áreas adjacentes; - Ampliação do contingente de limpeza industrial em 25%, atuando nas vias, pátios, estruturas e equipamentos das sinterizações e áreas adjacentes; - Duplicação no número de caminhões realizando aspersão nas vias e pátios internos; - Aceleração do serviço de reparo dos silos das áreas das sinterizações com o objetivo de reduzir as quedas de materiais; - Antecipação das obras de reparo geral da Sinterização número 4; - Contratação imediata de nova empresa especializada para manutenção dos precipitadores das 3 sinterizações antes das suas trocas definitivas que irão ocorrer até agosto de 2024. ATRASOS - No mesmo documento, a CSN faz esclarecimentos sobre questões envolvendo o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado com Instituto Estadual do Ambiente (INEA) em 2018, bem como relatou investimentos que ainda serão feitos na Usina nos próximos anos. " Prezando pela proteção e redução dos impactos de nossas operações no meio ambiente e na sociedade, em 2021, a Companhia dispendeu um total de R$ 544,2 milhões entre custeio e investimentos em projetos e processos de adequação ambiental, montante 29% maior do que o destinado em 2020, quando foram investidos R$ 420,5 milhões. Até 2024, serão também investidos outros R$ 300 milhões especificamente na modernização dos equipamentos de controle e mitigação de impactos ambientais na Usina Presidente Vargas, conforme acordado através do TAC INEA nº 07/2018, assinado em 19/09/2018 ", diz o documento. A CSN também aproveitou para reafirmar que serão feitos investimentos na planta de Volta Redonda, com previsão de gerar novos empregos. " Ainda buscando a contínua modernização do seu parque siderúrgico e melhorar a sua eficiência operacional, mais de R$ 6 bilhões serão investidos nos próximos cinco anos na UPV, gerando emprego e renda para a população do município ", diz em nota. A empresa ressaltou ainda que, em paralelo ao seu plano de investimentos, estabeleceu "metas ambientais agressivas". " Dentre elas: reduzir as emissões de material particulado por tonelada de aço bruto produzido na Usina Presidente Vargas em 40% até 2025 ". O prefeito Antônio Francisco Neto (União Brasil) agradeceu a agilidade na resposta e afirmou que aguarda os resultados positivos das ações a curto prazo. " A resposta veio rapidamente, como a situação exige, e até mesmo indo além do que foi pedido inicialmente pelo governo municipal. Esperamos que essas ações gerem impacto positivo no nosso meio ambiente, então somos gratos pela agilidade. A população está atenta e vigilante, assim como a prefeitura ", disse Neto. PARLAMENTARES - Assim como o Poder Executivo, o legislativo municipal, representado pelo presidente da Câmara, vereador Sidney Teixeira, o Dinho (Patriota), também se fez presente na reunião com o prefeito Neto, para tratar do assunto. " Independente desta reunião, a Câmara Municipal encaminhou ofícios solicitando fiscalização na Usina Presidente Vargas, ao Ministério Público Federal, ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), ao INEA e ao Ministério do Meio Ambiente ", afirmou Dinho.

MANIFESTO CONTRA 'PÓ PRETO DA CSN' UNE 'BOLSONARISTAS, LULISTAS, CIRISITAS, CASTRISTAS E FREIXISTAS'

Políticos, sindicalistas e ambientalistas marcam presença durante manifesto pela redução da poluição do ar em Volta Redonda Fotos: Gazeta...

bottom of page