top of page

GRANATO CONFIRMA PRÉ-CANDIDATURA A PREFEITO

Grupo político do parlamentar está assumindo as executivas municipais do Solidariedade e do Podemos, em Volta Redonda Foto: Arquivo O vereador Washington Granato (PTC) confirmou esta semana que é pré-candidato a prefeito nas eleições municipais, que ocorrerão no dia 4 de outubro deste ano, em primeiro turno. Com grande experiência como legislador, o parlamentar entrou na vida pública em 1997, quando foi eleito vereador pela primeira vez, e de lá pra cá já foi presidente do Legislativo por diversas vezes e secretário municipal de Obras, sendo conhecedor profundo da máquina pública. Granato tem até abril para decidir a legenda pela qual disputará o pleito, deixando o PTC. Vale destacar que o grupo político do parlamentar está assumindo as executivas municipais do Solidariedade e do Podemos em Volta Redonda. O senhor está se colocando como pré-candidato a prefeito, o que o levou a decidir disputar o executivo? Granato – Em minha análise, com a experiência que acumulei durante meus mandatos no Legislativo, tenho condições de realizar uma gestão que recoloque Volta Redonda no caminho do crescimento, fazendo o equilíbrio fiscal e financeiro, resolvendo o que for prioritário com urgência. Meu compromisso é com o resgate da imagem positiva de uma cidade iniciada por Getúlio Vargas e construída por trabalhadores que acreditam numa Volta Redonda melhor e mais justa para todos. Como sua experiência como vereador poderá ajuda-lo à frente da Administração municipal? A função do legislador é elaborar leis visando a ordenação do município em todas as áreas, pensando sempre no melhor para a população. Nosso papel também é o de fiscalizar as ações do Executivo, garantindo que sua conduta não venha de encontro ao desejo dos munícipes. Como vereador, tenho proposto sempre projetos que tragam mudanças e melhorias para nossa cidade e seus cidadãos, e ainda busco fiscalizar as ações do Executivo garantindo não só que ele cumpra a lei, mas que priorize a população. Com esse trabalho no legislativo, acumulei conhecimento sobre todas as áreas da administração pública, adquiri experiência necessária que me credencia para administrar nossa cidade. Vou colocar toda esta experiência a serviço de nosso povo, que já está cansado de promessas não cumpridas, de ver nossa cidade tendo perdas econômicas, a saúde sendo precarizada, bem como outras áreas que estão de mal a pior, com a população reclamando e pedindo por mudanças. Em sua avaliação, quais as maiores reclamações da população com relação ao poder público? Em minhas redes sociais e mesmo quando encontro as pessoas na rua, percebo que a insatisfação com o Governo municipal é grande e passa por diversas áreas. A população reclama que a saúde não funciona, com pessoas aguardando há mais de um ano por cirurgias, por exames de alto custo como ressonância, entre outros. E o que o prefeito fez? Implantou OS nos hospitais São João Batista e Retiro, contra a vontade do povo e dos profissionais da saúde e aumentando o custeio das unidades. Reclamam também do transporte público, que há muito tempo vem atendendo aos usuários de forma precária e ineficiente. Presidi uma Comissão Especial na Câmara Municipal que apontou a necessidade de licitação para todas as linhas – e não apenas a Sul Fluminense, como pretende o prefeito. As pessoas estão cansadas de passarem um longo tempo a espera do transporte para ir pro trabalho, pra escola, para a consulta médica ou para o lazer, e ainda há dificuldades para as pessoas que necessitam de acessibilidade. E reclamam da falta de emprego. O prefeito diz que Volta Redonda é a cidade que mais gera empregos no Rio, mas não vemos isto na prática, pois diariamente recebo reclamações de pessoas que estão desempregadas há muito tempo e não conseguem retornar ao mercado de trabalho e garantir o sustento de sua família. Sem contar os jovens, que têm dificuldades em conseguir o primeiro emprego. Temos que voltar a atrair empresas que alavanquem o crescimento de Volta Redonda e gerem emprego e renda. Empresas não poluidoras e industrias de tecnologia da informação, que irão fazer isso sem poluir. Na área da educação, é preciso implantar o tempo integral nas escolas municipais, que garante uma estadia de qualidade dos estudantes nas instituições de ensino, aprendendo, tendo atividades que os prepare para uma vida melhor, com merenda de qualidade. O funcionalismo público reclama da falta de reajuste salarial, com perdas que se acumulam ao longo dos últimos 24 anos. Como você avalia a atua gestão? Quando o atual prefeito se elegeu a Administração Municipal já acumulava uma dívida de média e longo prazo deixada pelo governo anterior bastante considerável, próxima a R$ 1,5 bilhão. A cidade já estava doente economicamente e agora a doença já é crônica. Ele se elegeu com o discurso de que a cidade necessitava de um gestor. A população acreditou com a esperança de que ele seria este personagem, mas o que temos visto é uma cidade que sofre pela crise financeira instalada na Prefeitura, que não está tendo condições de arcar com a folha de pagamento, aumentada em aproximadamente R$ 100 milhões por ano; que teve que suspender o pagamento de fornecedores; que aumentou o custeio da máquina pública em cerca de 45% e que ainda vem utilizando verbas carimbadas, de forma ilegal, na folha de pagamento, e agora no fim do ano veio utilizar os R$ 20 milhões de recursos que o Governo do Estado enviou para a Saúde em outras áreas. Tudo isso mostra sua inabilidade como gestor, que é um personagem que ele criou, mas não consegue colocar para atuar na prática. E não podemos nos esquecer as irregularidades praticadas nas obras de acesso ao Cemitério Portal da Saudade. A Comissão Especial criada na Câmara para analisar esta obra já tem indícios de crime ambiental e já fez uma denúncia ao INEA/Rio, aguardando as devidas providências e o término das análises para encaminharmos o caso ao Ministério público. O funcionalismo público

GRANATO CONFIRMA PRÉ-CANDIDATURA A PREFEITO

Grupo político do parlamentar está assumindo as executivas municipais do Solidariedade e do Podemos, em Volta Redonda Foto: Arquivo O...

bottom of page