top of page

PROGRAMA 'FOLLOW-UP' ATENDE CERCA DE 800 CRIANÇAS POR MÊS EM VOLTA REDONDA

Foto: Divulgação/Secom-PMVR

O Programa 'Follow-Up' do Recém Nascido de Alto Risco de Volta Redonda é uma área de seguimento do desenvolvimento de crianças, da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Entre cerca de 800 crianças atendidas, a iniciativa oferece profissionais multidisciplinares como: fonoaudiólogos, psicólogos, fisioterapeutas, assistentes sociais, pediatras, neuropediatra e odontopediatra.

A sigla 'Follow-Up' vem do termo “seguimento”, a maioria do público do programa é do Hospital São João Batista (HSJB), seja da maternidade ou da UTI (Unidade de Tratamento Intensiva) Neonatal. Os bebês chegam com questões como prematuridade, distúrbios metabólicos, sífilis, toxoplasmose, entre outros diagnósticos que podem afetar o desenvolvimento das crianças. O acompanhamento é realizado desde o primeiro mês de vida até os 5 anos e 11 meses de idade.

A coordenadora do 'Follow-Up', Cristiane Reis, explicou o trabalho e destacou a importância do programa. “Esses bebês são encaminhados para gente e ficam aqui conosco até os 5 anos e 11 meses de vida. O nosso foco é prevenção, esse cuidado precisa ser iniciado nos primeiros meses de vida para sequenciar toda a primeira infância. Tanto hospitais quanto unidades de saúde podem fazer o encaminhamento para o Follow-Up, desde que tenha indicação médica”, afirmou Cristiane.

A neuropediatra e idealizadora do programa, Claudia Resende Sepulveda, contou sobre as mudanças do Centro durante os anos, e falou da maior importância do projeto. “Começou a se pensar em uma forma de ‘seguimento’ dessas crianças, para fazer uma intervenção mais precoce possível para ajudar nesse processo de desenvolvimento. A maior importância e a ideia principal desse programa é ser preventivo. A gente tem uma equipe multidisciplinar, tudo para poder prevenir as sequelas. Conseguimos ampliar cada vez mais ao longo desses anos. Hoje temos o rastreamento, a intervenção e agora estamos entrando com as terapias intensivas”, frisou Claudia.

TRATAMENTO - Ruana de Almeida Gonçalves é mãe do Danilo, que faz acompanhamento com o 'Follow-Up', e acredita muito no programa. “O Danilo teve asfixia ao nascer, quando eu descobri, já estava um pouco avançado. Vim parar aqui no 'Follow-Up', onde ele começou o tratamento e a evolução dele. Durante esse tempo que ele está aqui, ele evoluiu bastante. Hoje em dia ele presta muita atenção nas coisas, o pescoço dele já está começando a firmar nesse pouco tempo que estou aqui com ele. A importância de ele estar fazendo esse tratamento é para ele evoluir. Se não fosse o pessoal daqui, não sei como seria minha vida. O tratamento dele é excelente”, disse Ruana.

A Maria Eduarda Fernandes é mãe da Mariah, que é paciente do 'Follow-Up' há mais de dois anos. “A Mariah, quando nasceu, foi diagnosticada com microcefalia. Ela já saiu do Hospital São João Batista e foi encaminhada para o 'Follow-Up'. Ela começou com a pediatra e com a neuropediatra. Depois de exames, descobrimos outro diagnóstico, que é de Holoprosencefalia Alobar, que é uma má-formação bem rara que, generalizando, tratamos como paralisia cerebral. Tudo isso com o programa acompanhando ela. Eu faço atendimento aqui também com o psicólogo, o que é muito importante. A Mariah vem se desenvolvendo na medida do possível, os profissionais daqui tentam fazer o melhor”, finalizou Maria.

O encaminhamento para o programa é realizado através dos hospitais, seja ele público ou privado, de maternidades ou UTI Neonatal. As unidades básicas de saúde também podem encaminhar para o Follow-Up, a criança precisa ter até 11 meses e 29 dias de idade. Todo encaminhamento precisa de indicação médica, seja pediatra ou generalista. O 'Follow-Up' fica localizado próximo ao Hospital Dr. Nelson Gonçalves (antigo Cais Aterrado), na Rua Dep. Geraldo Di Biase, 282, Aterrado. Contato: (24) 3339-9719.

Σχόλια

Βαθμολογήθηκε με 0 από 5 αστέρια.
Δεν υπάρχουν ακόμη βαθμολογίες

Προσθέστε μια βαθμολογία
Anúncio Geleias.jpg

Postagens Recentes

® Copyright
bottom of page